quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Os relacionamentos nos tempos modernos...

(Continuando como prometido a temática levantada no post Saber Amar... ). Me deparo com tantas dúvidas e questionamentos internos todos os dias que as vezes acho o amor e a felicidade sentimentos para lá de utopicos, falo isso porque são tantas as duvidas, incertezas e barreiras existentes em nossa atualidade que parece-e impossivel alguém se entregar de corpo e alma para outrem, sem jogos de interesses, máscaras e ou reservas.
Infelizmente as frustrações e decepções dos relacionamentos anteriores vão nos enterrando sobre crostras de comportamentos, mecanismos de defesa e de fuga. Raros são aqueles que depois de terem curtido uma fossa levantam sacodem a poeira e decidem recomeçar do zero, raros são aqueles que conseguem não projetar nos relacionamentos futuros as mazelas e feridas do passado.
E quando se trata de se abrir e ou se mostrar ao outro, acreito eu que todos nós ficamos na dúvida de até que ponto devemos nos permitir que o outro nos conheça ou saiba de nossa história. Até que ponto a sinceridade e honestidade caminham de forma saúdavel sem se confundir com uma investigação policial, exigências e cobranças. Porque as vezes parece que certos individuos usam destes conhecimentos para depois presisonar, julgar, ou força o parceirro (a) a dizer "a verdade e nada além da verdade", cobrar, pressionar e jogar na cara coisas que muitas vezes nem dizem respeito ao que deve se importar no relacionamento. Será que porque você tem uma marquinha na perna porque caiu de bicicleta na infância vai mudar a forma do outro te amar ou não?
Formar um casal não implica modificar o outro para que este se adapte aos seus desejos e resolva os seus medos. Implica que você se transforme em dono da sua própria vida e a viva com a companhia de quem pode ajudá-lo a crescer e a quem você possa oferecer reciprocidade.
Quando gostamos de alguém é pelo que ele é ou pelo que queremos que ele seja? Muitas vezes os relacionamentos se destroem e se fadam ao fracasso por causa dos nossos desejos infantis e idealizações. Como também por querermos que o outro nos ame da forma que achamos que devemos ser amados e não como ele sabe nos amar. E sem a compreenssão desta realidade fica extremamente díficil levar qualquer relacionamento adiante.
Se você está cansado de se envolver com pessoas com quem sempre repete os mesmos "erros", está na hora de fazer uma autocrítica. Tem alguma coisa em você que o leva a se relacionar sempre com o mesmo tipo de pessoa. Se você quer superar os seus modelos de relacionamento afetivo, não poderá fazer isso tentando que o outro mude. Você deverá fazer algo consigo mesmo.
Temos que tomar muito cuidado com as exigencias e costumes da sociedade atual, vejo cosntantemente reportagens de meninas que se submetem a videos, fotos, e cituações vexatórias para provar ao parceiro que o ama. Me preocupo com o rumo que os relacionamento estão tomando. Me preocupo com o tipo de relacionamento que esperamos para nós mesmo. Será que vale a pena está com alguém só pra não ficar sozinho?
Pois as vezes parece que é isso que estar acontecendo. Os jovens e adolescentes tem trocado a chance de compartilhar e dividir a vida com alguém, por uma simples "ficada", "pegada",etc., e ai eu confesso que não consigo identificar até onde tanta revolução sexual e avanços favoreceram de fato aos relacionamentos humanos. Será que estamos sabendo utilizar destes progressos e direitos adiquiridos ou continuamos escravos do machismo, dos tabus e preconceitos? Será que é tão careta amar e gosta de alguém. Se deixar ser conquistado, seduzido, enamorado.... não apenas por uma noite mais todos os dias e a cada dia. Será que o medo e a insegurança, o individualismo e o jogo de interesses são mais fortes que o carinho, a cumplicidade, o respeito e o amor que pode ser construído numa relação?
Confesso que ainda sou meio antiquada e por mais que tenha passado por decepções ainda quero encontrar-me de verdade com este sentimento...ah se quero... e a parte mais complicada é esperar por ele.


O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que tem medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.

(William Shakespeare)






2 comentários:

  1. minha linda adorei essa mensagem vc eh d+ viu...
    te gosto muito
    bjao
    by: fred

    ResponderExcluir
  2. que bom que você gostou fred é sempre bom ouvir a opinião sincera de alguém...bjs

    ResponderExcluir


Não deixe de comentar e participar dando sugestões, indicando receitas, etc.!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...