terça-feira, 7 de junho de 2011

A eterna busca


O dia dos namorados esta chegando. Eu sempre ficava meio triste perto destas datas na minha adolescência a espera daquele amor que parecia nunca chegar. Vias as coleguinhas entre sorrisos e burburinhos em meio a flores, ursinhos e bombons. E me perguntava, será que o amor é só isso? Ou será que algum dia eu vou poder encontrar alguém com quem eu possa ser simplesmente eu mesma? Será que eu vou ser feliz apenas quando encontrar este alguém? 
E o tempo passou... vieram as ilusões e decepções, amores e desamores, sabores e dissabores. E assim hoje pude perceber que a felicidade não é responsabilidade do outro, principalmente se eu não souber me fazer feliz. Que o amor só chega perto quando a gente aprende a se amar primeiro. Que um amor nunca é igual ao outro e por mais que pensemos que já amamos o suficiente amar nunca é o bastante, existe sempre algo mais ou alguém especial que vai te mostrar que não precisa ter medo de arriscar porque só correndo riscos que a gente encontra o amor. 
E ai estou eu aqui ouvindo música, pensando na vida, pensando numa conversa que tive agora a pouco e lembrando dumas definições mais gostosas que eu já li sobre o amor, lá no Banquete de Platão, no qual Aristófanes fala da busca pela “alma gêmea”, defendendo a tese de que os seres humanos inicialmente eram de três tipos: homem, mulher e andróginos; duplicados e unidos pelo umbigo e Zeus, para enfraquecê-los, divide-os em dois e cada uma das partes passará a vida à procura de sua outra metade original. Não seria apenas a união sexual, mas de “uma coisa” que a alma de um quer da alma do outro. Unir-se e confundir-se com o amado e de dois ficarem um só
Eu gosto desta definição de amor como desejo e busca pelo todo. Porque de alguma forma mesmo estando, pode-se não se sentir sozinho. Pode-se pensar que em algum lugar existe alguém que de alguma forma vai te entender, te aceitar, te completar... 
Por mais que seja dura a realidade. Não custa nada ser um pouco romântica e sonhar um pouco com este alguém. Mesmo que este alguém não esteja contigo. As vezes é gostoso ter saudade de tudo que ainda não vivemos. E agora a está hora, 03:07h da madrugada, ouvindo “È isso aí” na voz de Ana Carolina dá vontade de se descobrir na doce loucura de se apaixonar. 

E deixo vocês com um poema meio bobo que acabei de escrever... ou será que nem é tão bobo assim? 

FACE A FACE 


Talvez eu nunca te toque 
Talvez eu nunca olhe em teus olhos 
Talvez eu nunca ouça o som da tua voz bem perto de mim 
Mais eu sinto a tua presença de uma forma tão intensa 
Sinto o calor dos teus abraços 
O iluminar de teus sorrisos 
O toque das tuas mãos 
E me pergunto como é possível? 
Se eu só vi o seu retrato
Se eu só tenho as suas palavras... 
Como é possível sentir saudade? 
Se eu nunca pude te ter aqui comigo... 
Talvez seja porque você me conheça muito bem 
Acalma-me como ninguém 
Faz-me sorrir nas coisas mais simples 
E me mostra que nem tudo esta perdido 
Porque perdida eu estava quando eu não tinha você... 
E mesmo que não te veja face a face 
Você vai ser sempre as melhores lembranças 
Que eu quero guardar em meu coração. 



E para aqueles que já encontraram este alguém. Eu só posso desejar. Um feliz Dia dos Namorados! E que este dia não seja apenas uma data, uma troca de presentes.. mais uma celebração a cada beijo, encontro, desejo vivido...todos os dias!
 E como diria o Oswaldo Montenegro. "Porque metade de mim é amor, e a outra metade também.."

Um comentário:


Não deixe de comentar e participar dando sugestões, indicando receitas, etc.!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...